Prevenção doença renal começa na infância é o tema do Dia Mundial do Rim este ano - IUN - Instituto de Urologia e Nefrologia

17 4009-9191
Rua Voluntários de São Paulo, 3826
São José do Rio Preto / SP

Notícia

Prevenção doença renal começa na infância é o tema do Dia Mundial do Rim este ano

No dia 10 de Março de 2016 será comemorado o Dia Mundial do Rim. São realizadas ações em todo o mundo com o objetivo de divulgar as informações relacionadas a prevenção das doenças renais. A Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) coordena essa campanha no Brasil. O tema deste ano é “Prevenção da doença renal começa na infância”, e o foco é alertar a população com relação a adoção de hábitos saudáveis desde a infância.

Como parte das ações do Dia Mundial do Rim, a Unimed Rio Preto e o Instituto de Urologia e Nefrologia (IUN), de Rio Preto, realizam campanha informativa, medição de pressão arterial e teste de glicemia no Mercado Municipal, das 10h às 16h. Segundo a SBN, ao longo dos anos, a Campanha de Prevenção da data tem-se intensificado, ampliando cada vez mais o número de pessoas atingidas com informações sobre prevenção e a importância do diagnóstico precoce da doença renal crônica.

O diagnóstico precoce pode conter o avanço da doença, observa Horácio Ramalho, nefrologista do IUN (Instituto de Urologia e Nefrologia) e diretor do Hospital de Base. “A doença renal crônica pode ser facilmente diagnosticada por meio de um exame de urina e da dosagem de creatinina no sangue e pode ser efetivamente tratada, retardando a progressão da doença e reduzindo as mortes e os custos”.

     No Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), cerca de dez milhões de pessoas têm alguma disfunção renal. A prevalência de doença renal crônica é de 50/100.000 habitantes, inferior ao que é visto nos Estados Unidos (110/100.000) e no Japão (205/100.000), o que sugere que seja uma doença subdiagnosticada no nosso meio.

A doença renal crônica (DRC) em crianças traz consequências devastadoras para o crescimento, desenvolvimento cerebral e expectativa de vida ao nascer. O tratamento dessa condição de alta complexidade é difícil, caro e trabalhoso.

      No Brasil há diferenças regionais importantes na incidência e prevalência da DRC, com maior frequência da doença nas regiões Sul e Sudeste. O diagnóstico da DRC em crianças no Brasil na maioria das vezes é tardio e incompleto.

    A DRC na infância é diferente daquela dos adultos. As anomalias congênitas e as doenças hereditárias são os diagnósticos mais frequentes, enquanto glomerulopatias e doença renal por diabetes são incomuns. É necessário um grande esforço para que as crianças com DRC, onde quer que vivam, possam ser tratadas de forma eficaz, independentemente das suas circunstâncias geográficas ou econômicas. 

Como reduzir os risco de Doença Renal Crônica (DRC)

·         Tenha hábitos alimentares saudáveis
·         Não fume
·         Controle seu peso
·         Beba água
·         Controle a pressão arterial
·         Não tome medicamentos sem orientação médica
·         Pratique atividade física regularmente.
·         Se for diabético ou tiver histórico de diabetes na família, controle a glicemia (açúcar no sangue) regularmente.

Saiba mais:

1 - Em 2011 - 1.283 pacientes pediátricos em programa de diálise crônica no Brasil, sendo:

Prevalência = 20 casos por milhão de população da mesma faixa etária

Incidência = 6.6 casos por milhão de população da mesma faixa etária

A maior incidência e prevalência é na região Sul (Paulo Koch - publicado 2015 - revista PLOS one )

2 – Existem 112.682 pacientes no Brasil em programa de diálise 2015 (censo de diálise - SBN 2015)

3 - A idade média de inicio em diálise é 12 anos

4 - A taxa de mortalidade nas crianças em diálise é 30 a 50 vezes maior que na mesma faixa etária sem doença

5  - A doença impacta o crescimento e desenvolvimento na vida adulta e envolve a família o que determina impactos econômicos incalculáveis e migração para cidades com centros médicos mais habilitados ao tratamento

6 - A população infantil em risco são:

·         crianças com histórico de doenças renais genéticas na família

·         prematuros e baixo peso

·         crianças com histórico de familiares diabéticos, hipertensos e com doença renal crônica

·         crianças com histórico de internações prolongadas na terapia intensiva

·         crianças e adolescentes sobrepeso e obesos

·         crianças com malformações do trato urinário

7 - No Brasil existem cerca de 31.000 diabéticos abaixo de 14 anos que tem cerca de 30% de chance de apresentar DRC na idade adulta (IDF 2015)

8 - É importante que as mudanças de hábitos, alimentação saudável, atividades físicas, enfim estilo de vida, se iniciem na infância.