Nefropatias - IUN - Instituto de Urologia e Nefrologia

17 4009-9191
Rua Voluntários de São Paulo, 3826
São José do Rio Preto / SP

Nefrologia

Nefropatias

Várias são as doenças que podem acometer os rins, acarretando uma IRC. Podem se congênitas ou adquiridas, como:

• Doenças Renais hereditárias (Doença Renal Policística)

• Nefrites e Nefroses

• Inflamações e Infecções dos Rins

• Exposição a substâncias tóxicas externas

• Obstruções por "pedras" nos rins

• Doenças sistêmicas (lupus, vasculites, etc...).

 

Como fazer o diagnóstico clínico da IRC?

A redução na função renal é um processo lento, o que permite ao organismo lançar mão de mecanismos de adaptação.

Isto explica o achado de pacientes sem sintomas serem diagnosticados devido a uma intercorrência como traumatismos, infecções, etc. Outras vezes as intercorrências precipitam um agravamento na função renal tornando o paciente sintomático.

Naturalmente, os sintomas da insuficiência renal crônica dependem da doença principal, hábitos alimentares e do grau de redução da função renal de cada paciente. O diagnóstico é de competência do médico nefrologista.

 

Como fazer o diagnóstico laboratorial?

A função renal é avaliada por um exame chamado clearance de creatinina.

Valor normal: 90 a 120 ml/min

Uréia: é um dos produtos finais do metabolismo de proteínas. Na insuficiência renal crônica ela fica acumulada no sangue e é responsável pela uremia e todos os seus sinais e sintomas.

Valor normal: 20 a 40 mg/dl

Creatinina sanguínea: é resultante do catabolismo muscular.

Valor normal: 1 a 1,2 mg/dl

 

Como fazer o diagnóstico por Imagem?

Quando o paciente apresenta insuficiência renal crônica, os rins tornam-se pequenos e retraídos, diminuem de tamanho e ficam atrofiados. Isto pode ser percebido na ultra-sonografia abdominal.

A doença renal é uma situação que traz muitas mudanças, às quais você precisa se adaptar. Mas com certeza você pode viver muito bem, principalmente quando você conta com a colaboração e o apoio da sua família e da equipe da nefrologia.
Com a evolução tecnológica e científica, os métodos de tratamento tornaram-se altamente eficientes e a conquista da qualidade de vida cada vez mais real.